.




Foto: Divulgação
                                                          
.
.

Soins invadem quintais em Lagoa do Mato, em Itatira, em busca de alimento


Sexta-feira, 12 de janeiro de 2018   Atualização: 04:38

Soins estão mudando a rotina de moradores de bairros do distrito de Lagoa do Mato, em Itatira. Os animais estão invadindo os quintais das casas em busca de alimentos que não encontram na mata. Há relatos de tais animais vistos nos bairro do Beira Rio, Centro e Rodeio. Algumas pessoas até acham os visitantes engraçadinhos, quando os vêem nos telhados, nos muros e nas grades. No entanto, muitos têm medo também.
.
. .
. .
. .

A foto acima foi registrada por um morador no bairro do Beira Rio, no distrito de Lagoa do Mato. Muitos moradores aparentemente não estão acostumada com os vizinhos inusitados. Se na cidade, os soins já invadem os quintais das casas, a situação é ainda pior em quintais com plantação de bananeiras. Boa parte das bananas são devoradas pelos animais.

Segundo moradores, alguns soins, que têm se aproximado da região urbana do distrito, andam fazendo muita bagunça em cima dos telhados. Com isso, moradores enfrentam problemas com visitantes inusitados. Alguns moradores reclamam que os animais entram nas residências, fazem muito barulho, sujeira nos quintais e arruaça na procura por comida. Os soins são vistos há algumas semanas e aparecem cada vez mais.

Os moradores tentam conviver da melhor maneira com os novos habitantes. O problema é que tais animais podem transmitir doenças, como a raiva. Do ponto de vista da saúde individual e coletiva, o contato com soins em cativeiro e a captura desses animais em seus ambientes naturais representa grande ameaça à vida das pessoas. As agressões de animais silvestres a humanos são classificadas como acidentes graves pelo Ministério da Saúde.

Ao ser agredido por um soin, deve-se lavar imediatamente a ferida com água e sabão em abundância e imediatamente procurar assistência médica, pois somente o profissional de saúde poderá realizar avaliação do paciente, e se necessário indicar o tratamento profilático antirrábico humano.

Antes da manifestação dos sintomas, período que varia de alguns dias até um ano, é possível conter a doença com o tratamento adequado. Mas para evitar qualquer risco, o mais indicado ainda é deixar os animais silvestres em seus ambientes naturais e evitar o contato ou atraí-los para o convívio doméstico.

Em fevereiro de 2012, um garoto de 9 anos e outros quatro meninos se juntaram para caçar soim pela mata no município de Jati, no interior do Ceará. As crianças não sabiam que colocavam em risco a própria vida. Conseguiram pegar um soim e levaram para casa, onde um dos meninos foi mordido.

A mordida do soim deixou um corte profundo no polegar do menino, mas, pior que o ferimento, transmitiu raiva para a criança de 9 anos. Vinte dias depois, os sintomas começaram a aparecer e, após passar pelo hospital de Jati e pelo Hospital Infantil de Brejo Santo, o menino foi internado no dia 29 de fevereiro no Hospital São Vicente, de Barbalha, onde permanece em tratamento, com diagnóstico de raiva confirmado pelo Laboratório Central de Saúde Pública -Lacen.  
 
.

Compartilhar no Facebook
......
.

.
.
.


Recomendado para você

.




.






.






.






.






.






.






.






.






.






.






.






.






.







.






.






.
 EM ALTA  ENTRETENIMENTO & ARTES  FINANÇAS
 BRASIL  ESPORTE  GENTE & ESTILO
 GAY  IMAGENS  INTERNACIONAL
 POLITICA  RADIO  SAÚDE
 TECH & CIÊNCIA  TEMPO & NATUREZA  TURISMO
 TV  URBANO & SOCIEDADE  VIDEOS
.

Sobre

Termos de Uso

Mobile

Ajuda

Privacidade e Cookies

Direitos Autorais

Contate-nos

Anuncie seu negócio

.

.                                                    © Todos os direitos reservados.