Itatira ELEIÇÕES 2020

Vinda de radialista a Itatira gera confusão e vira caso de policia

Um vídeo com um bate-boca entre o radialista e moradores viralizou nas redes sociais com mais 120 compartilhamentos.

05/11/2020 13h41 Atualizada há 6 dias
Por: Itatira NEWS

A vinda de um radialista ao município de Itatira nesta quarta-feira (4) provocou confusão no município, com a presença da policia e terminou com o registro de um boletim de ocorrência. Um vídeo com um bate-boca entre o radialista e moradores viralizou nas redes sociais com mais de 120 compartilhamentos. Augusto Silva, que já trabalhou na Radio Jornal de Canindé e hoje possui uma página no Facebook, estava no município produzindo uma reportagem sobre supostas irregularidades na venda de uma empresa. Ao tentar realizar uma entrevista e fazer imagens áreas em uma rua do distrito de Lagoa do Mato, um grupo de moradores começou a criticar a presença do repórter no local. Um vídeo que circula na internet mostra o radialista batendo boca com os moradores. O radialista também disse que um dos entrevistados na matéria foi agredido fisicamente. Ainda de acordo com o radialista o drone usado nas imagens foi quebrado por um grupo de pessoas e um Iphone de seu cinegrafista também foi danificado. O radialista afirmou ainda que chamou a policia local.

O vídeo com o bate-boca foi gravado e divulgado pelos próprios moradores e teve mais 120 compartilhamentos. “Vocês são muito é do mau educado. O que vocês querem atentando a mulher ai”, diziam os moradores. O radialista então questiona os moradores se eles sabiam o que ele estava ali, ao que os moradores respondem. “Nada. Você não ta fazendo nada”, diziam os moradores. Os moradores então questionam a presença do radialista na rua. “O que você quer aqui na rua? Atentando a minha vizinha”, diziam. O radialista então responde que estava “trabalhando” ao que os moradores respondem: “trabalho de que? Não tou vendo trabalho nenhum?”. Ainda no bate-boca os moradores acusam o radialista de está mentindo. O jornalista então responde: “vai virar homem”. Em seguida os moradores começam a chamar o radialista de “repórter homofobico”. Os moradores dizem ainda que o radialista “nem do municipio era”.

Nesta quinta-feira (5), o radialista voltou às redes sociais e se manifestou sobre as acusações de que seria homofobico. “Quem me conhece sabe que não sou uma pessoa preconceituoso. Bati boca com uma pessoa lá que é gay. Tenho amigos gays e trato todos com respeito. Agora nem em Itatira e nem outra qualquer cidade vou aceitar ser afrontado, desafiado e ficar calado”, disse o radialista. “Eu não sou homofobico. Só não sou obrigado é aceitar ataques de pessoas. Eu gosto desse público LGBT. Gosto dos gays, as lesbicas. Tenho diversos amigos e quem me conhece sabe do que tou falando. Mas no momento em que eu for desrespeitado independente de A ou B eu vou responder a altura”, disse o radialista em vídeo postado em perfil no Facebook. "Não tenho sangue de barata", disse o radialista. "Eu não preciso de prefeitura para se sobreviver. O meu trabalho na internet é o suficiente", disse o radialista. "Itatira que se prepare porque a farra de ontem não irá calar a minha boca, não irá me intimidar", disse o radialista.

Ainda no inicio da noite de quarta-feira (4), o radialista afirmou em vídeo postado em sua rede social que sua equipe de reportagem havia sido intimidada e disse ainda que uma pessoa que havia dado entrevista teria sido agredido fisicamente por um grupo de pessoas que teria chegado em carros. Em um video postado na sua rede social logo após deixar o distrito, Augusto Silva afirmou que iria a Delegacia Regional de Policia Civil de Canindé registrar um boletim de ocorrência. Ele mostrou imagens da sua chegada a delegacia. “Um oficial reformado do exército foi agredido verbalmente e fisicamente”, disse. “Sorte que não estava armado. Porque se estivesse armado pode ter certeza que estariam todos estirados no chão”, disse o radialista. “Não iria puxar arma para fazer medo ia puxar arma para fazer o serviço”, disse ainda o radialista. Ainda de acordo com Augusto Silva, a policia local de Itatira foi acionado para conter a confusão. “Agrediram minha equipe, quebraram nossos equipamentos”, disse o radialista. "Quebraram o celular do Isac e os óculos. Meu cinegrafista levou um empurrão. Vieram me agredir, mas pedi calma e disse que não era necessário chegar em vias de fato. Até porque estavam em maioria", disse o radialista. O radialista disse ainda que a policia local fez buscas de arma nos carros do grupo. Nada foi encontrado.

 

O radialista também negou no video postada nesta quinta-feira (5) criticas que recebeu de que teria recebido dinheiro para produzir a reportagem. “Não estou cometendo nenhum crime”, disse o radialista. "Não fui contratado por ninguém", disse. O radialista também disse que não vai parar de fazer reportagens. "Eu sou radialista e não preciso de radio para fazer o meu trabalho. Faço na internet mesmo. O que digo é respaldado em provas. Não estou dizendo mentiras. É porque estou incomodando. Aqui na internet é o suficiente. Não vou parar de fazer minhas matérias. Se for necessário ir a Itatira novamente irei. Não estou aqui para fazer politicagem como estão dizendo que fui contratado por A ou por B. Não vou me intimidar. Só tenho medo dos castigos de Deus", disse o radialista.

 

Em entrevista ao Itatira NEWS nesta quinta-feira (5), Augusto Silva disse que registrou boletim de ocorrência junto com Isac Carneiro contra o grupo que teria feito as agressões e quebra dos equipamentos e que já estava em mãos do nome completo, CPF e endereço dos suspeitos. “Foi ajuizado uma denuncia contra esse grupo para que eles respondem na Justiça”, disse Augusto Silva. Ainda de acordo com ele, ao menos três pessoas foram denunciadas. “Eles vão responder por lesão corporal ao oficial do Exercito e a quebra do meu equipamento. Nosso drone foi quebrado e também o Iphone do meu cinegrafista”, disse Augusto Silva. Em entrevista ao Itatira NEWS nesta quinta-feira (5), Isac Carneiro afirmou que registrou boletim de ocorrência e fez exame médico. “Estou só fazendo uns exames. Eles puxaram meu braço e machucou um pouco. Tive uma lesão no ombro direito”, disse Isac Carneiro.