Em Alta ALIADO DE BOLSONARO

Rodrigo Maia retira MP do auxílio emergencial de pauta

Bolsonaro foi acionado para convencer Maia a desistir de pautar a MP.

19/12/2020 15h29 Atualizada há 3 semanas
Por: Itatira NEWS

Para tristeza do deputado André Janones, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, retirou a MP 1.000, que trata do auxílio emergencial, da pauta. Apesar de sua forte presença no Facebook, a batalha de André Janones não tem logrado muito êxito. Ele defendeu, por exemplo, que a ajuda de R$ 600 fosse mantida até o fim do ano, mas o Congresso cortou o auxílio para R$ 300 após cinco parcelas. Agora, mais uma derrota. O presidente da Câmara tinha avisou que se o problema era a falta da votação, colocaria a medida do 13º salário do Bolsa Familia em pauta junto com a MP do auxílio emergencial. Mas o governo Bolsonaro foi acionado para convencer Maia a desistir de pautar a MP e deu certo. Maia retirou a MP do auxilio emergencial de pauta. Por enquanto, a votação está suspensa.  

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, informou ao Plenário que a Medida Provisória 1000/20, que trata do auxílio emergencial residual (R$ 300), não será analisada. Segundo Maia, a MP já produziu os seus efeitos, e eventuais alterações no texto poderiam ter impactos negativos nas contas do governo. A oposição vinha pedindo a votação dessa medida provisória há meses, com o objetivo de aumentar de R$ 300 para R$ 600 o valor do benefício. Inclusive, com o sinal verde de Maia, a oposição chegou a apresentar uma tentativa de prorrogar o Auxílio Emergencial para 2021. Assim que a MP entrou na pauta, começou uma correria dentro do próprio governo Bolsonaro para tentar evitar a votação. Inclusive, com direito a declaração de Paulo Guedes e obstrução da base governista. Posteriormente, Maia tirou o assunto da pauta.