Vida Lá Fora SAUDADE

"Aqui vivo preso dentro de casa", dizem jovens de Itatira que moram em grandes cidades

“Sinto saudade de Itatira. Aqui a gente passa o dia todo trancado dentro de casa

11/01/2021 15h24 Atualizada há 1 semana
Por: Itatira NEWS

Jovens e adolescentes de Itatira que decidem ir morar em grandes cidades como São Paulo e Rio de Janeiro afirmam sentir saudade da vida que tinham no município de Itatira. “Aqui nas grandes cidades a gente passa o dia todo trancado dentro de casa, não é como ai na Itatira que a gente podia sair pra tudo que é canto, visitar os amigos, passear na rua, na praça, etc.”, disse um jovem emocionado com saudade do distrito de Lagoa do Mato. “A gente vive preso dentro de casa”, reclama o jovem. Ele pediu dinheiro a sua mãe para voltar ao Ceará, mas sua mãe afirma que não tem o dinheiro da passagem. O adolescente conta que foi para São Paulo na ilusão de que a vida lá fora fosse boa. “Pensei que ia ser bom. Além da saudade da mãe da gente, é ruim morar também nas casas dos outros”, disse o adolescente.

A vida pacata da cidade pequena do interior se transforma em uma nova vida a partir do momento em que vão morar nas grandes cidades. Muitos itatirenses que residem em outras cidades contam como é viver em grandes metrópoles levando uma vida totalmente diferente daquelas que tinham em Itatira. Um jovem de Itatira que foi morar em Fortaleza reclama de “viver preso dentro de casa e também da violência. Os assaltantes já levaram dois celulares dele, desde que ele começou a morar em Fortaleza há cerca de dois meses. “Quando saio do trabalho a noite sempre penso que vou ser assaltado porque é justamente quando estou saindo do trabalho que eu fui assaltado”, diz. Ele conta que já foi assaltada dentro do ônibus e na rua. “Sempre os assaltantes dizem que se nos reagirmos eles nos matam”, diz. “Eu queria muito ir poder ir embora deste bairro, morar em um local próximo do meu trabalho, mas não tenho condições”, diz. Outro itatirense também reclama da violência e diz morar no Rio de Janeiro é preciso aumentar a atenção para não ser assaltado. “Já vi gente ser morta, gente ser assaltada”, diz o jovem que mora em uma favela do Rio de Janeiro. “Quando tem tiroteio aqui dar muito medo de bala perdida. Sinto muita falta de Itatira”, disse.

Muitos itatirenses que residem nas grandes reclamam ainda que, apesar do trabalho, ainda possuem dividas, contas e custo de vida para morar em grandes metrópoles é alto. “Aquilo que recebo no final do mês só dar para pagar o aluguel, luz e mercantil, e pagar as contas. Trabalhamos apenas para sobreviver”, diz um rapaz que mora no Rio de Janeiro. “Acordo de madrugado e trabalho até a tarde. A vida aqui é muito difícil”, diz. “Eu queria muito voltar para Itatira e que lá eu tivesse um emprego, sem precisar ta aqui sofrendo”, diz.