Urbano & Sociedade PANDEMIA

Municipio de Itatira decide manter aulas pela internet em 2021

Medida visa evitar expor profissionais e alunos a contraírem coronavírus.

24/01/2021 06h27 Atualizada há 12 horas
Por: Itatira NEWS

A prefeitura de Itatira decidiu que as aulas dos estudantes da rede pública de ensino continuarão sendo feitas pela internet em 2021. O anuncio foi feito pela Secretaria de Educação do município durante coletiva de imprensa na tarde desta sexta-feira (22). Segundo a titular da pasta, Luciana Nunes, a medida visa evitar expor profissionais e alunos a riscos de contraírem o novo coronavírus. A secretária também anunciou que o método de ensino remoto ganhará um suporte maior neste ano por meio da contratação de uma assessoria especifica que irá aprimorar a metodologia de ensino online através da formação de gestores e professores. A pasta também pretende continuar dando material didático aos alunos sem acesso à internet em suas residências. “Já víamos disponibilizando todo o apoio e neste ano vamos reforçar esse empenho nosso”, disse Luciana que fez um apelo aos pais que matriculem seus filhos. Aulas remotas começam dia 1º de fevereiro. A distribuição do leite e alimentos escolares segue normalmente.

O diretor adjunto da secretaria, Janair Soares, agradeceu o esforço dos profissionais de educação em meio as dificuldades proporcionadas pela pandemia do novo coronavirus. “Obrigado aos professores, gestores, alunos e pais que tiveram que se reinventar para fazer algo que até então era desconhecido e que ninguém sequer imaginava que pudesse ocorrer. As aulas à distância não foram fáceis, mas o que foi proposto foi executado e os índices foram satisfatórios”, disse. Para Janair, se fosse feita uma sondagem entre pais para saber se eles concordariam com o retorno das aulas presenciais, a maioria deles seria contra. “Hoje os pais não sentem-se seguros de enviar seus filhos para a escola”, frisou. Ele explicou que, embora não haja estudos científicos sobre o comportamento do vírus em ambientes escolares e sua disseminação entre funcionários e alunos, “não se pode arriscar vidas humanas em um teste”. E acrescentou que as unidades de ensino receberam os Equipamento de Proteção Individual, os chamados EPIs. “Mesmo as escolas tendo recebido este kit de segurança, não sabemos ainda ao certo como este vírus atua em colégios e, na dúvida, decidimos por não voltar com as aulas presenciais. Não podemos fazer um teste arriscando vidas humanas”, disse o professor.

Janair frisou que há professores, vigias, auxiliares de serviços e vários colaboradores que integram a grade de funcionários da secretaria de educação e que fazem parte do grupo de risco mais propício a ter complicações em eventual infecção pelo Covid-19. Ele também disse que torce para que a quarta fase de vacinação, onde os profissionais de educação seriam vacinados, chegue o quanto antes. “Vamos inclusive trabalhar para que, se possível, a gente consiga colocar os educadores logo na segunda fase de vacinação”, acrescentou. Janair fez uma comparação do momento atual em que vive toda a população do planeta. “Estamos vivenciando um momento de Terceira Guerra Mundial, que já matou milhões de pessoas, mas onde o inimigo é invisível. Todo o mundo está passando por isso. Mas, ao mesmo tempo, compreendemos que de toda guerra sairá um aprendizado. Aqui em Itatira não é diferente do resto do mundo. Estamos em guerra, mas estamos tirando um aprendizado de tudo que vivemos nos dias de hoje”, disse Janair.

A coordenadora pedagógica da secretaria, Galgani Soares, informou que a Jornada Pedagógica dos profissionais de educação do município também será feito de modo virtual com alguns trabalhos presenciais. O evento deve ocorrer nos dias 26, 27, 28 e 29 de janeiro e terá a professora Vanessa Martins, como mestre das conferências. “Tivemos muitos prejuízos, principalmente pela ausência do contato professor e aluno, mas iremos trabalhar para que as aulas online tenham um suporte maior do que teve no ano passado”, destacou Galgani. A coordenadora de ensino, Socorro Alencar, destacou que um documento vai servir de orientação aos professores para as aulas via internet e que terá propostas como momentos de estudos. “Todas as escolas receberam este documento que também será utilizado e vai ajudar em nossa formação continuada”, disse Socorro.