Regional ItatiraNEWS.com

Mulher que fingia ser médica é presa em flagrante em posto de saúde

A farsa foi descoberta pela policia civil que já vinha investigando a mulher.

10/03/2021 12h19 Atualizada há 3 semanas
Por: Itatira NEWS

Uma mulher conseguiu enganar a secretaria de saúde do município de Itatira fingindo ser médica e conseguiu trabalhar no Posto de Saúde do distrito de Lagoa do Mato, o mais movimentado do município, sem ser percebida. A farsa foi descoberta pela policia civil que já vinha investigando a mulher e conseguiu prende-la na manhã desta quinta-feira (10) quando ela prestava serviço dentro da unidade de saúde. Em entrevista a Radio Som Zoom Sat, o delegado de policia civil Canindé, Daniel Aragão, informou que na manhã desta quinta foi informado da suspeita pela própria prefeitura de Itatira e desligou agentes até o município para averiguar a situação. “Nos foi repassada uma documentação e verificamos que realmente procedia que esta médica estava clinicando lá. Nos deslocamos até o município de Itatira e lá constatamos que a médica estava no posto de saúde”, disse. “Ela tava toda paramentada de médica, trabalhando. Então foi presa em flagrante”, disse o delegado. Ainda de acordo com o delegado, mesmo sem ser ainda contratada a médica estava atuando no posto de saúde e chegou, inclusive, a receitar medicamentos a pacientes. “Embora não fosse ainda contratada do município, pois estava em fase de contratação, mesmo assim, ela clinicou no posto de saúde, inclusive eu tenho aqui um receituário, com carimbo falso com CRN de uma médica lá de São Paulo. Então se constatou a falsidade ideológica”, disse o delegado. “Ela vai responder por exercício ilegal da medicina e falsidade ideológica”, disse em entrevista a emissora de radio. Não se sabe ainda ao certo quantos pacientes a falsa médica atendeu.

A médica foi identificada como Vanessa Maria Sampaio Goulart. Para conseguir trabalhar como médica ela fazia uso de documentos falsos. Na entrevista, o delegado também afirmou que o procurador geral do município de Itatira desconfiou dos documentos apresentados pela mulher e após pesquisar na internet descobriu que a mulher já havia praticado o mesmo crime em outro município. O procurador repassou os documentos para a delegacia de policia. “Uma desconfiança do próprio município, eles nos repassaram a informação. E fizemos um levantamento de uma investigação prévia do nome da suspeita e realmente constatamos que ele não é médica. E que ao chegarmos no município constatamos que ela estava dentro do posto de saúde exercendo ilegalmente a profissão de medicina”, disse o delegado. “Graças ao procurador e demais pessoas do município de Itatira conseguiram descobrir essa fraude desses documentos e alertaram a policia. E essa falsa médica foi tirada de circulação”, disse o delegado. “Não sei se o nome dela é esse mesmo. Mesmo ninguém sabe até onde vai”, disse o delegado.  

O procurador do município, doutor Bruno, em entrevista a radio FM Líder contou como suspeitou da mulher. “Ao verificar a documentação da acusada, notei que estavam faltando os documentos originais. Tai então surgiu a desconfiança. Ao verificar o nome dela constatei que existia um processo no município de Pindoretama com um fato muito semelhante com o que ela queria fazer no município de Itatira. Constatamos a delegacia regional de Canindé que prontamente nos atendeu e verificou a documentação e foi até o posto de saúde”, disse o procurador do municipio. “Quando o delegado chegou ao posto de saúde constatou que se tratava de um crime. Quero agradecer a policia”, disse o procurador. “A população de Itatira pode ficar tranquila, pois temos todo o cuidado de verificar as credenciais de todos os profissionais, independente da área e com certeza daqui em diante é que permaneceremos fazendo isso”, disse o procurador.

A mulher presa em Itatira já havia sido presa antes por fingir ser médica em outros municípios. Em 2013, a 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) negou pedido de liberdade de Vanessa, após ela ser presa em flagrante por atuar ilegalmente como médica em municípios do Interior. Segundo os autos, ela foi autuada em flagrante no dia 25 de julho de 2013, em Guaramiranga, a 102 km de Fortaleza onde também trabalhava como plantonista no hospital municipal. A suposta médica atuava também em unidades de saúde pública em Pindoretama e Chorozinho. Para isso, fazia uso de documentação falsa. A prisão veio após suspeita dos colegas de profissão em relação aos diagnósticos dela e investigação do Conselho Regional de Medicina do Ceará (Cremec). Ne época, ela confessou ao ser presa que não é médica. 

Mais lidas