Em debate "CHIANDO"

Porque alguns cearenses voltam do Rio de Janeiro com sotaque diferente?

“Eu voltei chiando. Não tem como não chiar”, disse uma jovem de Itatira, no interior do Ceará, que passou quatro meses no Rio.

01/03/2018 15h44 Atualizada há 2 meses
Por: Itatira NEWS

O Rio de Janeiro está fazendo aniversário. Em cinco séculos, o Rio foi capital de reino, de império e da república e colecionou recordes à medida que foi crescendo. Muitos cearenses que vão para a Cidade Maravilhosa voltam “chiando”, como se diz. Mas porque isso acontece? Como em qualquer lugar do Brasil e do mundo, os cariocas tem um sotaque próprio e, mais que isso, sua própria forma de se expressar. Independente de estar no bar com os amigos, em uma reunião séria de trabalho ou te atendendo em um restaurante, o jeito meio folgado, meio marrento, meio gingado na hora de falar não muda. Não tente entender. Os cariocas simplesmente não sabem diferenciar essas diversas situações do dia. Muitas pessoas que passam certo tempo lá voltam com sotaque diferente forçando o chiado do “s” (herança da migração portuguesa na época colonial), arranhando a garganta ao pronunciar o “r” e para trocar o “e” pelo “i”. Exemplo: a palavra 'esquerda' vira 'ixquerrrrda'. “Eu voltei chiando. Não tem como não chiar”, disse uma jovem de Itatira, no interior do Ceará, que passou quatro meses no Rio.