Também é notícia CRIME

Mulher espalha falso boato de estupro de criança para ex-marido ser morto

“A mulher espalhou falsamente dentro da comunidade que ele era estuprador, e isso dentro de uma comunidade causa comoção”, disse a policia que investigou o caso.

25/01/2022 12h07 Atualizada há 2 meses
Por: Itatira NEWS

A Polícia Civil revelou novos detalhes sobre o assassinato brutal de João Philip Gonçalves Nunes, de 23 anos. A vítima foi espancada até a morte e teve o corpo encontrado na Cidade Industrial de Curitiba. A investigação apontou que a ex-esposa da vítima teria espalhado um falso boato na comunidade onde mora dizendo que João Philip teria abusado sexualmente do filho do casal. O delegado Thiago Nóbrega, responsável pela investigação do caso, revelou a descoberta. “A mulher não queria devolver a criança e espalhou dentro da comunidade que ele era estuprador, e isso dentro de uma comunidade causa comoção”, explica. A autoridade policial ainda assegura que o filho do casal foi submetido a exames no Instituto Médico Legal (IML) que descartaram qualquer tipo de abuso. “Pelo contrário, ele tinha um amor e afeto muito grande pela criança”, complementa.

Nesse intervalo de tempo, a notícia falsa sobre os crimes que ele teria praticado foi disseminada na comunidade. Depois de espalhar o boato, várias pessoas se revoltaram e tiveram a ‘autorização’ do chefe do tráfico na região para espancar a vítima até a morte. O homem que teria permitido que o crime fosse cometido foi preso, mas há ainda outras cinco pessoas procuradas pela polícia suspeita do assassinato. Além da acusada, o companheiro dela, também é procurado pelas autoridades.