Roraima FAMILIA EM CHOQUE

Adolescente é atraída por amiga e é brutalmente assassinada

Uma amiga, que é irmã do jovem com quem Alessandra se relacionava, foi a responsável por atrair a jovem para a casa em que foi assassinada.

08/03/2020 13h28 Atualizada há 2 meses
Por: Itatira NEWS

Dois homens foram presos e uma adolescente de 16 anos foi apreendida pela Polícia Militar de Roraima, nesta sexta-feira (6). Eles são suspeitos de participarem do tribunal do crime que executou a jovem Alessandra Costa, de 17 anos. Ela era procurada pela família desde 3 de março, quando saiu de casa para a escola. Os suspeitos fazem parte de uma facção rival, informou a Polícia Civil. A adolescente foi assassinada em um tribunal do crime, após confessar a um jovem com quem tinha um caso que já havia se envolvido com um membro de outra facção. Uma amiga, que é irmã do jovem com quem Alessandra se relacionava, foi a responsável por atrair a jovem para a casa em que foi assassinada.

De acordo com a Civil, a amiga de Alessandra confessou participação no crime e depois guiou os agentes até o o Anel Viário, local em que a vítima foi abandonada. O corpo havia sido queimado e foi encontrado em estado avançado de decomposição. Depois que o corpo foi encontrado, foram presos dois jovens, de 18 e 20 anos, em flagrante suspeitos de participar do assassinato. Um deles era com quem Alessandra tinha um caso. Segundo a Polícia Civil, Alessandra teria morrido porque o namorado achou que ela estava se aproximando com a intenção de atraí-lo para depois matá-lo. A desconfiança começou após a garota contar que teve um relacionamento com um integrante de uma facção rival, com quem inclusive teve um filho.

Ainda de acordo com a Civil, Alessandra foi executada com um golpe chamado mata leão (estrangulamento), de acordo com a perícia. Os autores teriam ainda amarraram os braços e as pernas da vítima com um pano. Depois a levaram para uma área de mata e atearam fogo em seu corpo. Ação que prendeu os suspeitos foi feita pela Divisão de Captura e Inteligência e Delegacia Geral de Homicídios. A polícia identificou mais dois suspeitos, que ainda não foram localizados. O corpo foi removido ao Instituto Médico Legal (IML). Devido às condições, também serão realizados exames para identificar oficialmente se o corpo é de Alessandra.