Posto Ipiranga
Baratão das Frutas
Danilo Martins Consultório Odontologico
Wagner Car
Solutions
PANDEMIA MUNDIAL

Comércios começam a fechar as portas em Itatira devido decreto de governador

Alguns estão com apenas com metade das portas abertas. Outros estabelecimentos, entretanto, permanecem funcionando normalmente

20/03/2020 08h17Atualizado há 4 dias
Por: Itatira NEWS

Vários comércios fecharam as portas nesta sexta-feira (20) no municipio de Itatira. No distrito de Lagoa do Mato, por exemplo, duas academias estão com as portas fechadas. Uma famosa sorveteria no Centro do distrito também fechou. Outros estabelecimento estão apenas com metade das portas fechadas.  A grande maioria dos estabelecimentos, entretanto, continuam abertos. É o caso, por exemplo, de várias lojas de roupas que permanecem funcionando normalmente. "Enquanto uns obedeceram o decreto, outros estão funcionando normalmente", disse um empresário do Centro de Lagoa do Mato que fechou seu estabelecimento. "Se a lei é para todos, todos têm que cumprir", disse. O decreto foi a medida mais rígida já adotada pelo Governo do Ceará na tentativa de conter o avanço do coronavírus no estado. Segundo o decreto do governo, ficam impedidos de exercer as atividades, por um período de 10 dias, comércios e estabelecimentos dos seguintes seguimentos: bares, restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos congêneres; templos, igrejas e demais instituições religiosas; museus, cinemas e outros equipamentos culturais, público e privado; academias, clubes, centros de ginástica e estabelecimentos similares; lojas ou estabelecimentos que pratiquem o comércio ou prestem serviços de natureza privada; “shopping center”, galeria/centro comercial e estabelecimentos congêneres.

O decreto que determina o fechamento do comércio no Ceará estabelece multa diária de R$ 50 mil em caso de descumprimento, conforme edição extraordinária do Diário Oficial do Estado publicada na noite desta quinta-feira (19). Em caso de descumprimento, serão adotadas medidas como a apreensão, a interdição e o emprego de força policial.Só podem estar funcionando supermercados, farmácias e locais que prestem serviços de saúde no interior dos referidos dos estabelecimentos; feiras e exposições; indústrias, excetuadas as dos ramos farmacêutico, alimentício, de bebidas, produtos hospitalares ou laboratoriais, obras públicas, alto forno, gás, energia, água, mineral, produtos de limpeza e higiene pessoal, bem como respectivos fornecedores e distribuidores. Para justificar o fechamento do comércio, o decreto considera que "a situação excepcional em que estamos vivendo, a exigir das autoridades públicas ações mais restritivas no sentido de barrar o avanço da disseminação da doença, preservando a saúde da população, sobretudo das pessoas mais vulneráveis pela contaminação". Com isso, bares, feiras livres, restaurantes, lanchonetes, templos, igrejas, barracas de praia, shoppings centers, museus, cinemas e academias devem permanecer fechados. A decisão vai até o dia 29 de março.