Solutions
Wagner Car
Danilo Martins Consultório Odontologico
Baratão das Frutas
Posto Ipiranga
PANDEMIA MUNDIAL

Jovem de 21 anos, considerada 'saudável', morre de coronavírus

Jovem de 21 anos não tinha doenças pré-existentes.

27/03/2020 00h07Atualizado há 1 semana
Por: Itatira NEWS

A morte de uma jovem de 21 anos na Inglaterra, sem doenças pré-existentes e considerada uma pessoa "saudável" e "esportista", voltou a acender o alerta de que jovens também vão parar na UTI devido ao coronavírus e que muitos deles também podem morrer. Chloe Middleton morreu na semana passada, mas a notícia só foi divulgada nesta quarta-feira, 25 de março. Em uma publicação no Facebook, sua tia, Emily Mistry, disse que Middleton "faleceu no Covid-19" e pediu que outras pessoas "façam sua parte" para impedir a propagação da doença. Autoridades de saúde demonstram preocupação de que os jovens ignorem os avisos sobre a propagação do vírus, uma vez que acreditam que a doença apenas acomete idosos. Mas em uma série de postagens no Facebook, a família de Middleton pediu ao público que seguisse as recomendações para "ficar em casa" e levasse o vírus "a sério". Sua mãe, Diane Middleton, escreveu: "Por favor, pense novamente". "Falando de uma experiência pessoal, esse vírus tirou a vida da minha filha de 21 anos." Mistry acrescentou: "Minha linda sobrinha de 21 anos faleceu de Covid-19". "Ela não tinha doenças pré-existentes." Mistry disse que a família ficou "arrasada além da conta". "Por favor, sigam as diretrizes do governo". "Faça a sua parte. Proteja-se e proteja os outros. O vírus não está se espalhando, as pessoas estão espalhando o vírus."

Na semana passada, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, fez um duro alerta aos jovens. "Tenho uma mensagem para os mais jovens: vocês não são invencíveis; o vírus pode colocá-los no hospital por semanas ou até matá-los. Mesmo se vocês não ficarem doentes, as escolhas que vocês fazem sobre aonde vão podem significar a diferença entre a vida e a morte para outra pessoa", disse ele. Em entrevista recente à BBC News Brasil, Willem van Schaik, professor do Instituto de Microbiologia e Infecção da Universidade de Birmingham, no Reino Unido, disse "ser muito errado pensar que aqueles abaixo de 50 anos sempre vão ter sintomas leves: haverá indivíduos mais jovens e muito doentes também e eles vão precisar de tratamento". Nos Estados Unidos, um relatório divulgado na quarta-feira passada (18 de março) pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) mostrou que, dos 508 pacientes hospitalizados no país por covid-19, cerca de 40% tinham abaixo de 54 anos. Desse total, 20% tinham entre 20 e 44 anos e 18%, entre 45 e 54 anos.