GRAU

Prática de empinar motos faz sucesso entre jovens de Itatira

Em meio às vias públicas, ladeiras, campo de futebol ou estradas de barro estão os simpatizantes deste tipo de pilotagem que se arriscam em acrobacias fazendo exibicionismo.

12/01/2021 15h25 Atualizada há 3 meses
Por: Itatira NEWS

Não é de hoje que a prática conhecida como “empinar moto” se faz presente entre alguns motociclistas jovens e adolescentes de Itatira. Em meio às vias públicas, ladeiras, campo de futebol ou estradas de barro estão os simpatizantes deste tipo de pilotagem que se arriscam em acrobacias fazendo exibicionismo. No Facebook, vários jovens e adolescentes de Itatira publicam fotos e videos empinando moto em estradas ou lugares abertos realizando manobras arriscadas. Nas fotos postadas nas redes sociais, os adolescentes e jovens realizam sessões de exibicionismo. Além de fazer acrobacias com as motos, eles se divertem utilizando as estradas e locais abertos para empiná-las entre os veículos na via.

As cenas de perigo estão em vários perfis no Facebook de jovens e adolescentes de Itatira. Muitos ainda aproveitam para, de forma mais arriscada, empinar moto levando um colega na garupa da motocicleta, desrespeitando às leis de trânsito, colocando em risco a vida deles e a de outras pessoas Há duas formas de empinar: com a roda traseira fixa ao chão e impulsionando a parte frontal ou ao frear de forma brusca, mantendo a roda da frente no chão e erguendo a de trás, numa espécie de manobra contrária (conhecida como RL). Além das motos, alguns adolescentes de Itatira também postam fotos empinando bicicletas em estradas e locais abertos do municipio. Apesar da aparente adrenalina, tal condução pode acarretar problemas ao piloto e à moto. Empinar a moto pode trazer riscos ao condutor, pois a possibilidade de queda é maior neste caso. Além de estragar a moto, pagar alto valor em multa, o motorista pode ainda sofrer fraturas muitas vezes irreversíveis.

Além da possível detenção e multa, o motociclista pode perder a qualidade do sistema da moto. Ao empina-la, há uma perda na capacidade de desempenho do motor. Quando a roda dianteira permanece inclinada por muito tempo, o óleo do motor para de circular e assim há um desgaste precoce da peça. Com isso, a embreagem é pressionada e perde a vida útil, devido ao constante acionamento. Outra prejudicada é a caixa de marcha, que, devido ao atrito, perde as atividades. Já a prática de RL atinge a suspensão de freios dianteira, a coluna de direção e os rolamentos. Pode ser prejudicado também o chassi de forma direta.

“Em comparação a forma tradicional de empinar, o RL não agride acentuadamente a moto, mas ainda assim a deixa instável, devido à pressão e estresse das peças”, explica um mecânico. O condutor que for flagrado nestas condições pode receber uma multa no valor de R$ 1.915,40, além da apreensão e suspensão do veículo e da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Na constituição do Código de Trânsito Brasileiro, há um texto do artigo 175 que avalia esta atitude como “utilizar-se de veículo para demonstrar ou exibir manobra perigosa, mediante arrancada brusca, derrapagem ou frenagem com deslizamento ou arrastamento de pneus”.